Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Português pode ter surfado a maior onda de sempre na Nazaré



"Nesta quinta-feira, 18 de janeiro, foi um dia memorável na Nazaré. Embora ainda não haja dados oficiais, é possível que Hugo Vau tenha surfado uma onda de, imagine-se, 35 metros, na Praia do Norte.

A revelação foi feita por Jorge Leal (membro da equipa do surfista português) através da página de Instagram. “Hoje vi provavelmente a maior onda surfada na Nazaré por @hugovau no maior swell de sempre!”, escreveu na descrição do vídeo.

Em entrevista à SIC, Hugo Vau disse que a equipa esteve sozinha “cerca de três horas na praia do Norte devido às condições adversas” e que houve cerca de cinco ou seis ondas em que tentou entrar, mas não conseguiu devido ao vento.

Acabou por surfar aquela que é considerada há sete anos como a “Big Mama”. “É muito grande, muitos surfistas que têm muitos anos de praia do Norte já me disseram que foi a maior onda que alguma vez viram surfar na Praia do Norte”, continuou.

Agora, cabe ao “XXL Biggest Wave Awards”, uma espécie de Óscar das ondas gigantes, confirmar este tamanho. Recorde-se que o recorde mundial pertence a Garrett McNamara que, em 2011 e naquela mesma praia, surfou uma onda de 23,8 metros."

(Fonte: NiI.pt)










O que é um trilho?



Na unidade que acabámos de começar, apareceu a palavra trilho. O que é, no contexto da natureza, um trilho?

"Caminho estreito; senda, passagem, trilha, vereda"


Reparem no começo desta notícia de fevereiro de 2014 (Porto24):

Desempregados de Valongo desenvolvem site de trilhos de montanha

O novo website do evento desportivo Trilhos do Paleozóico, desenvolvido por um grupo de 40 desempregados de Valongo, foi colocado quarta-feira online.

A utilização de tecnologia tridimensional e a apresentação da mascote são as principais inovações desta página de Internet, criada para divulgar não só as corridas de montanha, mas também as potencialidades turísticas do concelho de Valongo.

Este projecto resulta de uma parceria entre a Câmara de Valongo, o Centro de Emprego de Formação Profissional do Porto e do Centro de Emprego de Valongo, tendo sido desenvolvido por 40 desempregados e alunos de um curso de formação em multimédia.


(...)

A segunda edição do evento de trail running Trilhos do Paleozoico realiza-se a 15 e 16 de Março. Foto:Arq/SXC


quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Pilares



Isto vem do Brasil, mas é mais ou menos assim em muitos, muitos países, sabem?

E falta a Saúde Pública!





Um desenho de Juliana Vido




Gostam destes brincos?





Acento agudo e acento grave



O acento agudo ( ´ ) é usado na maioria dos idiomas para assinalar geralmente uma vogal aberta ou longa. Em português, aparece em todas as vogais tônicas na última sílaba ou na antepenúltima sílaba. Aparece também nos grupos "em" e "ens" (como em armazém, além, etc.) e para separar as letras i e u dentro de um hiato (como em alaúde).


O acento grave (`) (...) em português serve para marcar a crase, quer dizer, a fusão de dois fonemas vocálicos idênticos e seguidos em um só. Por exemplo: Vou a (preposição) + a (artigo) piscina = Vou à piscina



(Wikipédia, adaptado)


terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Sismo em Arraiolos é sentido na província de Badajoz



Sismo em Arraiolos sentido de norte a sul do país

Sismo provocou fissuras na escola de Cunha Rivara, em Arraiolos. Protecção Civil diz que não há ameaça à segurança.

Liliana Borges, Lisa Freitas e Sofia Robert
15 de Janeiro de 2018, 11:59 actualizado a 15 de Janeiro de 2018, 16:21


Um sismo de magnitude 4,9 na escala de Richter foi sentido em diversas zonas do país, nesta segunda-feira, pelas 11h51, de acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). O epicentro foi registado a cerca de seis quilómetros de Arraiolos, no distrito de Évora. De acordo com Fernando Carrilho, director da Divisão Geofísica do IPMA, foram registadas réplicas de menor intensidade.

Manuel Cordeiro, adjunto de operações da Protecção Civil, diz que o sismo provocou fissuras no edifício da Escola Básica e Secundária de Cunha Rivara, em Arraiolos. Adianta a mesma fonte em declarações ao PÚBLICO que os serviços municipais já se deslocaram à escola, evacuada por precaução, e concluíram que a estrutura “não representa perigo”. O abalo foi muito sentido na região, o que levou várias pessoas para a rua “com medo”.

O sismo de magnitude de 4,9 na escala de Richter foi sentido com uma intensidade IV (escala de Mercalli modificada) na região de Elvas. Este nível de intensidade (considerado moderado) corresponde a um sismo durante o qual “os objectos suspensos baloiçam” e “a vibração é semelhante à provocada pela passagem de veículos pesados ou à sensação de pancada de uma bola pesada nas paredes”. “Carros estacionados balançam. Janelas, portas e loiças tremem. Os vidros e loiças chocam ou tilintam. Na parte superior deste grau as paredes e as estruturas de madeira rangem”, especifica o site do IPMA na descrição desta escala de Mercalli modificada, que vai de I (imperceptível) a XII (danos quase totais).


(...)


Notícia completa no Público






Terramoto causou “preocupação e nervosismo” em Badajoz

Os bombeiros e a polícia deram conta de um maior número de chamadas telefónicas do que o habitual, mas não registaram danos.

Carlos Dias
15 de Janeiro de 2018, 15:33

O sismo com epicentro a seis quilómetros a norte de Arraiolos, distrito de Évora, atravessou a fronteira e foi sentido “com preocupação e nervosismo” em Badajoz, Mérida e Cáceres, na região espanhola da Extremadura.

A Agência EFE refere que em diferentes serviços públicos de Badajoz, os funcionários “abandonaram o local de trabalho e saíram para a rua”. O abalo, cujo epicentro se situou a 11,8 quilómetros de profundidade, também foi sentido na sede dos bombeiros de Badajoz, que receberam um número inusitado de chamadas telefónicas a comunicarem o impacto do tremor de terra no interior das residências da capital da Extremadura.

O Centro de Urgência e Emergência do 112 de Badajoz adiantou que o tremor de terra foi sentido em toda a comunidade de Badajoz mas não foram registados quaisquer danos materiais ou pessoais – apenas o susto –, frisando que recebeu 80 chamadas telefónicas.

(...)

A notícia completa no Público


La Crónica de Badajoz





segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Um bom casaco para o frio



Para combater o frio, um bom casaco  e com essa cor tão cálida...

casaco. "Peça de roupa, geralmente de mangas compridas, que se fecha à frente com botões, fecho de correr, etc., e que cobre o tronco, vestindo-se sobre outras peças de roupa."


(Ilustração de Erik Madigan Heck)



Alguns números e poupança de água

 Uma torneira a pingar


Um torneira gotejando gasta até 46 litros por dia, ou seja, 1.380 litros por mês. Um fio de água com cerca de 2 milímetros totaliza 4.140 litros num mês. Um fio de 4 milímetros gasta 13.260 litros por mês. Assim, verifique se as torneiras de sua casa estão a fechar bem para evitar o desperdício.

Ao escovar os dentes com a torneira aberta durante 5 minutos, você gasta 80 litros. Mas mantendo a torneira fechada, a economia é de 79 litros.

Ao lavar a louça com a torneira aberta durante 15 minutos, consumimos 243 litros de água. Se a torneira for fechada durante o ensaboamento, gastaremos apenas 46.

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Pão e poesia (Simone)


A cantora brasileira Simone canta esta alegre canção para começarmos otimamente o ano 2018


PÃO E POESIA

Felicidade
É uma cidade pequenina
É uma casinha, é uma colina
Qualquer lugar que se ilumina
Quando a gente quer amar

Se a vida fosse trabalhar
Nessa oficina
Fazer menino ou menina
Edifício e maracá
Virtude e vício
Liberdade e precipício
Fazer pão, fazer comício
Fazer gol e namorar

Se a vida fosse o meu desejo
Dar um beijo em teu sorriso
Sem cansaço
E o portão do paraíso
É teu abraço
Quando a fábrica apitar

Felicidade
É uma cidade pequenina
É uma casinha, é uma colina
Qualquer lugar que se ilumina
Quando a gente quer amar

Não há passagem
Entre o pão e a poesia
Entre o quero e o não queria
Entre a terra e o luar
Não é na guerra
Nem a saudade
Nem futuro
É o amor no pé do muro
Sem ninguém policiar

É a faculdade de sonhar
É a poesia que principia
Quando eu paro de pensar
Pensa na luta desigual
Na força bruta, meu amor
Que te maltrata
Entre o almoço e o jantar

Felicidade
É uma cidade pequenina
É uma casinha, é uma colina
Qualquer lugar que se ilumina
Quando a gente quer amar

O lindo espaço
Entre a fruta e o caroço
Quando explode é um alvoroço
Que distrai o teu olhar
É a natureza onde eu pareço
Metade da tua mesma vontade
Escondida em outro olhar
E como doce
Não esquece a tamarinda
Essa beleza só finda
Quando a outra começar
Vai ser bem feito
Nosso amor daquele jeito
Nesse dia é feriado
Não precisa trabalhar

Pra não dizer
Que eu não falei da fantasia
Que acaricia o pensamento popular
O amor que fica entre a fala
E a tua boca
Nem a palavra mais louca
Consegue significar felicidade

Felicidade
É uma cidade pequenina
É uma casinha, é uma colina
Qualquer lugar que se ilumina
Quando a gente quer amar