Ouguela (Alentejo, Portugal) em baixo; Alburquerque (Badajoz, Espanha) ao fundo.

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Despedida deste ano letivo



É pena, mas não vamos poder ler este poste, esta mensagem, na sala de aula hoje dia 17, porque à mesma hora eu tenho de fazer uma prova final a outros alunos.
 
Com estas fotografias e um pouco de música, despeço-me de todos. Passem umas ótimas férias grandes e aproveitem para ler, é o meu conselho de sempre. Há muito tempo pela frente. Aproveitem! 






As fotografias de Clara Meurer e o texto são de junho de 2011. Fica aqui esse texto para quem quiser saber a origem do que se pode ver nas fotografias.

Reparem que no Brasil o Dia dos Namorados é comemorado a 12 de junho. Porquê?

«No Brasil a data é comemorada no dia 12 de junho, véspera do dia de Santo António, conhecido pela fama de "Santo Casamenteiro"» (Wikipédia)


Um grupo de 19 jovens entre 24 e 29 anos se reuniu ontem na Praia de Botafogo propondo uma forma de fazer arte no espaço público onde, o principal interesse do trabalho é facilitar a comunicação entre a arte e o público espectador. “Propomos uma nova forma de arte que seja capaz de se comunicar com pessoas de todos os seus níveis sociais ao invés de uma elite educada”, disse Fagner Marça, um dos participantes. Com o objetivo de criar um novo movimento na cidade, foi proposta uma intervenção de escala urbana no dia dos namorados. A intervenção foi construída com balões e formava um enorme coração na praia de Botafogo. A montagem da intervenção durou 4h e media 50x30m com 12m de altura. A obra atingiu 3 bairros da zona sul e foi visível de Botafogo, da Urca e do Flamengo, mostrando a força desses jovens que em duas semanas se organizaram pelo facebook e planejaram toda a ação do domingo.



Do primeiro disco solo do músico e compositor Luís do Monte





segunda-feira, 13 de junho de 2016

Viajar! Perder países! (Fernando Pessoa)




A 13 de junho de 1888, lá pelas 15h20, nasceu no Largo de São Carlos, em Lisboa, o poeta Fernando Pessoa, cujas principais viagens foram feitas com a imaginação.


Viajar! Perder países!
Ser outro constantemente,
Por a alma não ter raízes
De viver de ver somente!

Não pertencer nem a mim!
Ir em frente, ir a seguir
A ausência de ter um fim,
E a ânsia de o conseguir!

Viajar assim é viagem.
Mas faço-o sem ter de meu
Mais que o sonho da passagem.
O resto é só terra e céu.

Fernando Pessoa

20-9-1933





Reparem na palavra viajante (em espanhol, "viajero")




Minha fortaleza (Blaya)




"Blaya nasceu em Fortaleza, no Brasil, mas mudou-se com os pais para Portugal com dois meses.

“Morei em Mora, em Moura, em Quarteira, até que parámos em Ferreira do Alentejo”, conta. Começou a escrever letras e a rappar aos 14 anos, até que parou de cantar para dançar. “No Alentejo o rap não tinha muita saída”, explica.

Chegou a fazer parte de um grupo de hip-hop feminino com Dama Bete, as Blacksystem, mas foi nos Buraka Som Sistema que se tornou conhecida, primeiro como a bailarina dos calções curtinhos e depois como MC."

(Fonte: Jornal i, 3-7-2013)


MINHA FORTALEZA


Vejo gente passando gente bonita gente me iluminando
sinto cheiro no ar esse calor que me mata e me deixa notar
tudo aqui é belo tudo aqui é gostoso tudo aqui tem o seu tempo 
tempo que é poderoso
(...)


Se gostaram da Blaya, há cá mais uma canção: "Dia a dia"






Uma história sobre pontos de vista



O poeta John Godfrey Saxe conta uma história muito interessante sobre pontos de vista.


Seis homens cegos desde o nascimento foram conhecer o que era um elefante. O primeiro se aproximou do animal tocando a anca deste e disse:

– O elefante é muito parecido com um paredão.

O segundo chegou perto e a primeira parte que sentiu foi o dente do elefante. Logo ele questionou a definição do primeiro, dizendo:

– Paredão? O elefante parece uma lança!

O terceiro pegou na tromba e criticou os dois:

– O elefante parece uma cobra!

O quarto tocou o joelho do animal e proclamou:

– Vocês todos estão muito errados! O elefante é como uma árvore!

– O quinto se aproximou tocando a orelha. Achou, é claro, que todos os seus amigos estavam incrivelmente equivocados:

– O elefante é como um abanador!

O sexto e último homem apalpou a cauda:

– Qualquer um pode sentir que o elefante é exatamente como uma corda!



(Fonte)



Mais uma vez: MAS e MAIS




Mas que confusão que os espanhóis fazem com estas duas palavras, mas e mais! Hoje até dá para rever um bocado de inglês, vejam

Façam o favor de clicar aqui: "Cuidado: MAS e MAIS!"










Calvin e a vida





Bill Waterson é o autor do grande Calvin e do seu amigo, o Hobes (ou o Haroldo, no Brasil). Reparem na maturidade das palavras do Calvin nos quadradinhos de hoje.

Já sabem, é preciso aproveitar o tempo, e agora é um bom momento para o fazer, quando têm as férias grandes novinhas em folha pela frente.





sexta-feira, 10 de junho de 2016

Hoje é o Dia de Portugal



O Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas celebra a data de 10 de Junho de 1580, data da morte de Camões (Wikipédia.

Como podem ver, o doodle do Google em português (google.pt) de hoje, é dedicado a este Dia.


*******************************************

Extremadura celebra el Día de Portugal con diversas actividades del 1 al 11 de junio

El 10 de junio es el Día de Portugal, Camões y las Comunidades portuguesas y para conmemorar esta celebración, desde la Junta de Extremadura se han impulsado una serie de actividades relacionadas con la música, la literatura, el cine y la gastronomía del país vecino que se desarrollarán hasta el próximo día 11 en diversas localidades de la región.

Estas actividades comienzan hoy miércoles, con la programación de un concierto en el Gran Teatro de Cáceres a cargo del grupo portugués Senza, con un estilo musical al que llaman fusión-lusófona, con influencias musicales de Portugal, Brasil, Cabo Verde y otros países de habla portuguesa.

La literatura portuguesa no podía faltar en la celebración del 10 de junio, Día de Portugal, Camões y las Comunidades Portuguesas, con una selección de fondos bilbliográficos portugueses en la Biblioteca de Extremadura y una maratón de lectura portuguesa en la Biblioteca Bartolomé José Gallardo de Badajoz.

A esta celebración se suman 11 librerías de diversas localidades extremeñas, con una muestra de autores portugueses y publicaciones relacionadas con Portugal del 6 al 11 de junio, así como el Museo de Cáceres, que bajo el nombre “Los Versos de Gallo”, acogerá una lectura de poemas y prosa poética inspirada en Portugal.

La gastronomía portuguesa tendrá también un lugar destacado en esta celebración con la realización, el día 10 de junio en Mérida, en la Escuela Superior de Hostelería de Extremadura, de un showcooking a cargo del chef de la Escuela de Hostelería y Turismo de Setúbal. También habrá actividades gastronómicas para los más pequeños con el taller infantil Cómete Portugal, en el que los menores podrán aprender secretos de la cocina portuguesa elaborando recetas del país vecino.

Por otra parte, la Filmoteca de Extremadura acogerá también la próxima semana la proyección en Badajoz y Cáceres de la película A vingança de uma mulher, adaptación de un cuento del siglo XIX a cargo de Rita Azevedo Gomes.

Numerosas entidades extremeñas participan en los actos del día de Portugal, con los que se pone de manifiesto la estrecha vinculación con el país vecino.

Más información sobre la programación del Día de Portugal en Extremadura en la página: http://www.euro-ace.eu



Pretérito Perfeito Simples - Pretérito Imperfeito




quinta-feira, 9 de junho de 2016

Igreja de São Francisco de Assis (Belo Horizonte, Brasil)



Igreja de São Francisco de Assis, em Pampulha, no estado de Belo Horizonte (1942). Obra do arquiteto Oscar Niemeyer. Os azulejos foram decorados por Cândido Portinari.




A preparar-se para o verão




Serão romances para ler nas férias grandes? Manuais para estudar? Sabe-se lá...






quarta-feira, 8 de junho de 2016

Día de Portugal en Extremadura: de 1 a 11 de junio



Mais informação no link: euroace











O pior analfabeto é o analfabeto político (Bertolt Brecht)



Leiam estas palavras e reflitam um pouco nelas. Estou a falar para os alunos do 4º ano, os mais velhos da ESO, é claro. Embora eles não possam votar ainda, podem ir cultivando a sua visão com estas palavras de Bertolt Brecht. E como no nosso País vamos ter eleições dentro em pouco...


O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas.

O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.

Bertolt Brecht


Depois de lermos, escutamos as palavras do escritor alemão Bertolt Brecht (1898 - 1956). Digam-me lá se este homem é português. Reparem no sotaque dele.






(Blogue Voar fora da asa)



segunda-feira, 6 de junho de 2016

Nomes brasileiros

 
Este rapaz não é brasileiro, mas... reparem no nome dele!


É incrível a imaginação dos brasileiros para os nomes que eles escolhem dar aos filhos. Leiam, leiam... Assinalei a negrito alguns dos nomes, mas há muitos!


NOMES BRASILEIROS

Ninguém ultrapassa os brasileiros na descontracção, criatividade, humor e aberração com que nomeiam os seus filhos. O poeta Oswaldo de Andrade, que adorava chocar a sociedade paulista, não hesitou em dar aos seus dois filhos os nomes de Lançaperfume Rodometálico de Andrade e Rolando Pela Escada Abaixo de Andrade. Aqui há uma dúzia de anos o sociólogo brasileiro Mário Souto Maior publicou um livro no qual tinha recolhido os nomes mais ortodoxos dos seus conterrâneos. Eis alguns: Cavalo Antônio, Céu Azul do Céu Poente, Colapso Cardíaco da Silva, Cólica de Jesus, Crissopasso Compasso, Dezênio Fevereiro de Oitenta e Cinco, Dinossauro Carlos da Silva Rios, Dourado Peitudo, Doroteu Katisplaciano Silva, Dorodhovío dos Anjos, etc.....

Conta ainda o referido sociólogo que Maria de Jesus Galisa, de 21 e solteira, teve um filho a quem chamou Skylab, em homenagem ao laboratório espacial norte-americano que caiu no mesmo dia em que a criança nasceu. Como era pobre escreveu uma carta à NASA pedindo-lhe que a ajudassem a criar o seu filho, na esperança que fossem mais responsáveis que o pai dele...

Mas há mais e mais ortodoxos: Filogénio Lopes Utinguaçu, Ataulpa Atabalipa Inca Vidigal, Juca Acaiaba Dendém Paraguaçu, Grato Ladislau Bus Caramuru. Depois há também os nomes de "légua e meia", como o magnífico Benedito Frôscolo Jovino de Almeida Aimberê Militão de Sousa Baruel de Itaparica Boré Fomi de Tucunduva.

Em Belém do Pará contava-se a história de uma família da ilha do Marajó onde os pais resolveram dar aos filhos nomes terminados exclusivamente em "baldo": Ubaldo e Vilebaldo. Ao terceiro filho o pai decidiu que já eram muitos e decidiu que aquele seria o último, razão pela qual o miúdo se veio a chamar Parabaldo. Infelizmente houve mais uma gravidez imprevista e a solução foi chamar Seguebaldo à criança...

Ainda em Belém do Pará outra família deu aos filhos os nomes de Prólogo, Soneto, Ementa e, pensando que aquele seria o último, Epílogo de Campos. Contudo veio a nascer mais uma criança - uma menina: Errata de Campos. Por seu lado, Epílogo de Campos (recentemente falecido) para manter a tradição literária da família baptizou os seus filhos com os nomes sugestivos de Estrophe, Poesia, Verso e Pessoína - em homenagem a Fernando Pessoa, claro está!


MAIS NOMES BRASILEIROS

O Instituto Nacional da Previdência Social do Brasil elaborou uma lista dos nomes mais exóticos dos seus contribuintes. Aí encontramos Graciosa Rodela, Inocêncio Coitadinho Sossegado de Oliveira (será que era?), João Cara de José, Teresina Capitulina de São Valentim de Jesus do Amor Divino, Maria Passa Cantando, Restos Mortais de Catarina, Pedrinha Bonitinha de Jesus, Remédio Amargo, Naída Navinda Navolta Pereira (este é genial!), Rolando Caio da Rocha e muitos, muitos mais.

No Ceará, depois de muitos anos de matrimónio, um casal conseguiu enfim ter uma menina. Os pais ficaram tão contentes que a registaram com o nome de Formusura Perfeita Ideal do Nascimento. A menina cresceu e, infelizmente, não fez jus ao seu nome: era conhecida por Feiura Perfeita... Um jornalista do Recife contou que conheceu duas gémeas chamadas Difuntina e Finadina, primas de uma tal Filosofina. E parece que no bairro carioca de Santa Teresa há duas irmãs com os nomes de Mijardêmia e Merdanésia...

No Rio Grande do Sul existe um personagem chamado Arodir Átila Perverso Antonioni e no Paraná um certo Pedro da Ponta Fina Amolador da Ponta Grossa. Em Pernambuco há um cidadão que dá pelo nome de Gueyglysaydy Brasileiro Neto, que é irmão de Gylglascony, Graydary, Grayny, Guueythchyly e Gylrryar (a única irmã). Esta característica parece ser própria de Pernambuco, pois aí também encontrámos quatro irmãs com os nomes de Hydia, Hevylda, Henylda e Helylda, filhas de Nivaldo e Hilma Landim. Tinham mais um filho que se chamava apenas Nivaldo Junior...

É claro que é sempre possível, sendo maior, trocar de nome; mas o que dizer da infância dolorosa de quem carrega nomes como Anclotinato, Ubsclendes ou Duntalme? Há várias hipóteses. Por exemplo, há uma tribo mexicana que vive na Serra Madre Ocidental em que é tradição nomear os descendentes apenas aos 15 anos de idade. Sábio exemplo. Na altura do baptismo bastaria ao sacerdote perguntar à "criança": Como te queres chamar meu filho?

Para os mais virados para a tecnologia existe um site que ajuda os papás indecisos a encontrar um nome adequado para o seu rebento.



(Fonte: Blog Uncovering)



sexta-feira, 3 de junho de 2016

Cerejeiras em flor para a Susana



Dedico estas cerejeiras em flor do Vale do Jerte, na nossa Extremadura, à Susana, da turma de 3º A. Ela sabe porquê. É mais fácil pensar um pouco do que usar os tradutores da internet, que por vezes nos dão uns resultados esquisitos. Dicionários, sim; tradutores, não. Onde fica o trabalho do aluno?

Eis duas citações retiradas de dois páginas portuguesas na net.

"A Primavera e o Verão são duas estações recomendadas para visitar o Vale do Jerte. O espectáculo de milhares e milhares de cerejeiras em flor cobrindo grande parte das encostas, as festas das Cerejeiras em Flor que decorrem na segunda quinzena de Março, e a visita em plena colheita das cerejas, são momentos de grande e inesquecível beleza."

"Dizer Vale do Jerte é dizer cerejeira em flor, um espetáculo que ninguém deveria perder..."



quinta-feira, 2 de junho de 2016

O método Paulo Freire de alfabetização



Isto aconteceu no Brasil no passado século, alguns anitos antes de vocês terem nascido. Vejam como as ditaduras não gostam de educação, de as pessoas terem uma cultura e saberem, e pensar, e..? Isso é muito perigoso: pensar!


"O método Paulo Freire de alfabetização aliava escolarização com formação de consciência. Uma primeira experiência foi aplicada com 5 trabalhadores analfabetos dos quais 3 aprenderam a ler e escrever em 30 horas. Paulo Freire foi convidado pelo governo de João Goulart a organizar a Campanha Nacional de Alfabetização, que objetivava alfabetizar 2 milhões de pessoas em 20 mil círculos de cultura. O Golpe Militar de 1964 interrompeu o projeto, reprimiu a mobilização, e Paulo Freire foi perseguido, preso e exilado. O regime militar substitui o plano pelo Movimento Brasileiro de Alfabetização, que propunha a alfabetização funcional de jovens e adultos."

Jonathas de Andrade









Lido no blogue de Alberto Renault


Paulo Freire (Recife, 1921 — São Paulo, 1997) foi um educador e filósofo brasileiro. Destacou-se por seu trabalho na área da educação popular, voltada tanto para a escolarização como para a formação da consciência política. Autor de “Pedagogia do Oprimido”, um método de alfabetização dialético, se diferenciou do "vanguardismo" dos intelectuais de esquerda tradicionais e sempre defendeu o diálogo com as pessoas simples, não só como método, mas como um modo de ser realmente democrático.

Paulo Freire




quarta-feira, 1 de junho de 2016

Imaginamos o som, mas quem não ouve...?



Pensem um bocado nisto: nós podemos imaginar o som desta imagem que vemos cá em cima. É muito difícil, difícil mesmo, mas como será ser surdo? Ele sentirá a vibração, mas não pode ouvir o som.


Podemos aproveitar para aprender como é se diz em português da pessoa que escreve com a mão esquerda: canhota.